Cirurgia Hemorroidária sem corte e indolor

A doença hemorroidária é uma das enfermidades mais antigas de que se tem registro na história da humanidade. Conceitua-se como doença o inchaço das veias e artérias da região anal associada a sinais e sintomas como sangramento, dor, desconforto anal e saliência ocasionada pelos vasos externos ou pela exteriorização dos vasos internos pelo ânus.


Novo tratamento cirúrgico para Doença Hemorroidária pela técnica THD

A doença hemorroidária é uma das enfermidades mais antigas de que se tem registro na história da humanidade. Conceitua-se como doença o inchaço das veias e artérias da região anal associada a sinais e sintomas como sangramento, dor, desconforto anal e saliência ocasionada pelos vasos externos ou pela exteriorização dos vasos internos pelo ânus.

A doença pode ocorrer em ambos os sexos e estima-se que nos países industrializados cerca de 40% dos pacientes acima de 40 anos tenham ou já tiveram alguma queixa relacionada a enfermidade. Os principais fatores que contribuem para o aparecimento ou agravamento da doença hemorroidária são: constipação intestinal, diarreia crônica, idade avançada, hereditariedade, gravidez e obesidade.

As hemorroidas são classificadas de acordo com a sua localização em: hemorroidas internas, externas ou mistas. As hemorroidas internas podem ser classificadas em 4 graus, de acordo com a intensidade do prolapso e sangramento.

Em geral, as doenças hemorroidárias de 1° e 2° grau são tratadas por métodos conservadores (mudança na dieta e estilo de vida, ligadura elástica e coagulação com raios infravermelhos), sendo os métodos cirúrgicos indicados para os casos mais avançados.

Tradicionalmente a cirurgia é realizada de duas maneiras; a técnica de cirurgia convencional (hemorroidectomia) ou a técnica com grampeador mecânico. Na técnica convencional, os vasos hemorroidários são ligados na extremidade e o prolapso ressecado. A técnica com o grampeador mecânico (PPH) tem como principal vantagem causar pouca dor no pós-operatório, e como desvantagem ser um método caro, restrito a alguns casos selecionados e com índices de reincidência maiores que os métodos convencionais.

Nos últimos anos, uma empresa italiana desenvolveu uma técnica conhecida como Dearterialização Hemorroidária Transanal guiada por Doppler (THD) que realiza o tratamento da doença hemorroidária sem cortes de tecidos, sem riscos de sangramento, com menos trauma e consequentemente diminuição expressiva da dor no pós-operatório.

O método THD é considerado uma opção altamente viável no tratamento cirúrgico da doença hemorroidária, pouco invasiva, procedimento simples, seguro e de fácil execução. O procedimento consiste na identificação das artérias através do Doppler, em seguida a ligadura dos vasos, levando a interrupção do fluxo arterial que alimenta plexo hemorroidário e corrigindo o eventual prolapso através do reposicionamento e fixação no interior do ânus. O THD pode ser realizado com anestesia simples, apenas com analgesia e sedação.

A nova técnica (THD) foi introduzida no Brasil através do grupo de cirurgia do Hospital Albert Einstein e atualmente difundida nos principais centros médicos e hospitais do país, inclusive em Guarulhos. O THD já é utilizado na Itália, Inglaterra, Alemanha, Espanha, França, Portugal, Polônia, EUA e México.

 

CARTÃO PRIORIDADE

Cartão Prioridade

GAMEDII no Facebook

História em Quadrinhos

Clique para Download

APOIO

SBCP
GEDIIB
FBG
SOBEST