Dermatologia

1. As Doenças inflamatórias intestinais (DII) podem cursar com lesões na pele?
R: Sim, aproximadamente um terço dos pacientes poderão apresentar lesões de pele durante o curso da doença inflamatória intestinal. Em alguns casos, essa manifestação se apresentará antes do aparecimento da DII , ou poderá aparecer durante o curso agudo da mesma, outras vezes será uma alteração de caráter crônico.

2. Quais são as alterações de pele mais frequentes nos pacientes com DII?
R: Algumas alterações de pele descritas mais frequentes é o Eritema Nodoso (EN), que pode aparecer junto com os sintomas da DII. São descritos como caroços dolorosos, avermelhados nas pernas, às vezes não são visíveis, mas sentidos ao toque dos dedos, sendo mais comum em mulheres e pacientes com alterações de intestino grosso, podendo estar associada à inflamação nas articulações (artrite). Outra manifestação descrita é o Pioderma Gangrenoso (PG), de caráter crônico, que se caracteriza pelo aparecimento na pele de uma ou várias lesões que evoluem para feridas ou úlceras abertas dolorosas, com bordas arroxeadas, mais comuns nos membros inferiores, podendo aparecer em qualquer outra parte do corpo. Pode aparecer também em áreas próximas às estomias, acredita-se que nestes casos ocasionadas pelo trauma local. (Fenômeno denominado de patergia). O PG parece ser mais comum na Retocolite do que na Doença de Chron. As aftas são também lesões frequentes (aproximadamente 20% dos casos), são pequenas feridas nas superfícies mucosas dentro da boca.

3. A Doença de Crohn pode ter alguma lesão de pele própria da doença?
R: Sim, são lesões mais específicas relacionadas com a própria inflamação intestinal, e se manifestam como vermelhidão ou formação de pequenas úlceras ou feridas, além de fissuras que são pequenas rachaduras ao redor do ânus. Podem sangrar, causar dor e coceira na região perianal. Em alguns casos pode ocorrer a formação de fístulas êntero-cutâneas que aparecem ao redor dos genitais e são como caminhos ou pertuitos (com um pequeno furinho) que faz a comunicação entre a parede do intestino e a pele, normalmente ligando o reto à vagina, bexiga ou nádegas podendo eliminar aí algum tipo de secreção. Também pode ser complicação de alguma cirurgia. Este tipo de fístula pode vazar pús ou material fecal e ocorrem em aproximadamente 30% dos pacientes com Doença de Crohn. Outras alterações nesta região são os plicomas que são saliências (espessamento e crescimento) de pele ao redor do ânus que ocorrem devido ao processo inflamatório. As lesões de pele na Doença de Crohn, normalmente, ocorrem concomitantes ao aparecimento das manifestações gastrointestinais.

4. Quais as outras manifestações de pele menos frequentes das DII?
R: Aquelas decorrentes da nutrição deficiente de minerais ou vitaminas como a deficiência de zinco, denominada acrodermatite enteropática, que são placas avermelhadas ou com superfície escamosa, com pústulas ou crostas ao redor de orifícios do corpo como boca, ânus, genitais ou em faces extensoras. De ocorrência mais rara são relatadas ainda a Síndrome de Sweet, com placas e caroços avermelhados no rosto, pescoço e tronco, manifestações de febre, hemograma com aumento de glóbulos brancos. Outra manifestação bastante rara é a Doença de Crohn metastática, onde as lesões granulomatosas ocorrem distante do trato gastrointestinal, geralmente no abdome, membros inferiores e áreas de dobras.

5. Os medicamentos usados no tratamento da DII pode levar a alguma alteração na pele?
R: Em raros casos é possível desenvolver alguns quadros cutâneos decorrentes do tratamento com as sulfas e os anti-TNF ( biológicos), estes últimos podem induzir o aparecimento de lesões psoriasiformes (semelhantes à psoríase) e, com menos frequência, os quadros de alopecia areata, líquen plano e, eventualmente quadros mais extensos de descolamento da pele (necrólise epidérmica tóxica).

Dra. Luciana Valentini de Melo
Médica Dermatologista | CRM 76509

Referências:

• Cardozo, WS, Sobrado C.W. Doença Inflamatória Intestinal in: Cap.IX-Manifestações dermatológicas da Doença Inflamatória Intestinal, Ed.Manole, 2012.
• SAMPAIO, S.A.P.; RIVITI, E. A. Inflamações não - infecciosas in: SAMPAIO, S.A.P.;RIVITI, E. A. Dermatologia. 2° ed, São Paulo, ARTES MÉDICAS, 2001.
• Rare cutaneous manifestations associated with Crohn's disease.International Journal of Colorectal Disease 2014; Vol 29(6):765-7.
• Cutaneous Crohn's disease treated with infliximab and 4 years of follow up.Australasian Journal of Dermatology 2014; Vol 55(3):e40-3.
• IL-36? Sustains a Proinflammatory Self-amplifying Loop with IL-17C in Anti-TNF-induced Psoriasiform Skin Lesions of Patients with Crohn's Disease. Inflammatory Bowel Diseases 2014;Vol 20(11):1891-901.
• In ulcerative colitis, current use of thiopurines was associated with nonmelanoma skin cancer. Annals of Internal Medicine 2015; Vol 162(6):JC12

 

Entre em contato

 

  (11) 3436-9335

  contato@gamedii.com.br

 

GAMEDII no Facebook

Apoio

  • Sociedade Brasileira de Coloproctologia
  • Federação
  • Grupo de Estudos da Doença Inflamatória do Brasil
  • SOBEST
  • 1

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas notícias!